terça-feira, 2 de agosto de 2011

A surpresa

Como já é do conhecimento de todos, meu segundo filho, Lucas, chegou no dia 12 de abril de 2011 com uma surpresa para todos nós: a Síndrome de Down. Surpresa porque não houve diagnóstico durante a gravidez e em todos os exames a que fui submetida tudo estava "normal".
No momento em que eu finalmente conheci meu filho, depois que o efeito da anestesia tinha diminuído eu percebi que havia algo de diferente nele... Já que, obviamente, me pegava comparando todas as reações dele às de Mateus, meu primogênito.
Lucas pesava 3,490 kg e media 50 cm. Um bebêzão! Lindo e muito bochechudo... Mas bem molinho, aliás, muito molinho para um bebê que nasceu a termo.
Então, eu juntava as coisas e comecei a perguntar a minha mãe que era quem estava me acompanhando naquela noite: "Mãe, você não achou nada estranho em Lucas?" e perguntava a todas as enfermeiras que adentravam o quarto "Vocês tem certeza de que está tudo bem com ele? Ele não busca o seio como o meu primeiro filho, cadê a pediatra?”. 
Mas, ninguém respondia aos meus questionamentos. Liguei para Marcelo. Eram mais de uma hora da manhã e ele estava dormindo e eu falei com todas as letras: "Celo, o que a pediatra falou de Lucas? Como foram os resultados dos exames dele? Mô, eu acho que Lucas tem Síndrome de Down".
Mais uma vez, como se eu estivesse delirando, a minha resposta não veio.
Então que no outro dia, depois que Marcelo chegou ao hospital, a pediatra veio me ver e me perguntou se eu tinha visto algo diferente em meu bebê. Eu não disse a ela o que disse a Marcelo, mas falei que o achei muito molinho... Então, ela me disse que meu bebê tinha características morfológicas compatíveis com a síndrome de down...
Compatíveis? A minha pergunta então havia sido respondida.
O chão abriu sobre os meus pés. As lágrimas caiam e eu não conseguia escutar mais nada do que a pediatra falava. Lembro somente que ela disse que a gente precisava fazer um exame chamado cariótipo para confirmar, mas naquele instante eu já sabia que uma nova realidade me chamava.

Um comentário:

  1. Lendo e chorando de emoção... blog lindo. Obrigada por compartilhar sua vida.

    ResponderExcluir