quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Em busca da Felicidade

Assisti hoje no Bom Dia Brasil uma matéria que dizia assim: Projeto no Senado quer transformar felicidade em direito social. Agora parece que felicidade será definida por lei. Uma resolução da ONU reconhece que a busca da felicidade é direito humano fundamental. A matéria discorreu sobre o que é felicidade e sobre o que as pessoas consideram felicidade e, obviamente, como uma norma poderia regulamentar o direito à felicidade...
Fiquei pensativa... Refletindo sobre felicidade em minha vida. Fiquei imaginando se eu sou uma pessoa feliz, se meu esposo é um homem feliz, se meus filhos são felizes, se meus pais são felizes... Será que é possível definir esse sentimento?
E aí uma filósofa resolveu explicar assim: “A ideia de felicidade, em geral, historicamente, está relacionada a um estado de complementação, de duração dessa complementação, ou seja, da ausência de conflito. Estar feliz é estar com todas as coisas ajeitadas e resolvidas. E isso é falso. A pessoa sente que está feliz, mas se ela é honesta com sua sensação, ela vai ter de admitir que já se sentiu assim, mesmo quando nada objetivamente estando no lugar”
Pois é... Eu acho que a gente não pode dizer que alguém é feliz ou infeliz, mas se está ou não está feliz ou infeliz... Pelo menos é assim comigo, porque no geral, me considero sim uma pessoa feliz, mas em alguns momentos me senti infeliz.
Sou feliz porque tenho saúde, sou feliz porque meu esposo tem saúde, meus filhos têm saúde, meus pais têm saúde... Minhas necessidades básicas são satisfeitas, tenho um trabalho legal, estou rodeada de amigos fantásticos e a cada dia que passa tenho mais certeza disso.
No final da matéria, um senhor constitucionalista encerrou com chave de ouro, citando o poeta Vicente de Carvalho, assim: “Essa felicidade que supomos árvore milagrosa / Que sonhamos, toda arreada de dourados pomos / Existe sim / Mas nós não a alcançamos / Porque está sempre apenas onde a pomos / E nunca a pomos onde nós estamos”.
Acho que encerra perfeitamente tudo o que eu penso: a felicidade é algo muito mais simples do que imaginamos e a busca por ela é bem mais fácil do que muitos pensam...

Um comentário:

  1. Vaneskinha...
    Já li todos os posts e estou simplesmente encantada! Acho que foi uma iniciativa muito legal sua de criar o blog. Realmente ser uma mãe especial é uma grande dádiva divina, para pessoas especiais, como você.
    Já te admirava, agora então, sou ainda mais sua fã.
    Um beijo igualmente especial pra vc, Marcelo, Matheus e Luquinhas!

    ResponderExcluir