terça-feira, 21 de março de 2017

21 de março de 2017

Pois é... Mais um dia internacional da síndrome de Down. E depois que eu saí da instituição, de que um dia fiz parte, e precisei me afastar presencialmente da militância, acabei não mais fazendo parte da concepção de ações de inclusão. Presencialmente, seja bem claro! Porque continuo ativa no movimento e sempre muito atenta!

Mas, foi isso. E muitas vezes eu sinto falta, porque a minha mente inquieta e cheia de ideias precisa dividir alguns conteúdos, assuntos. Sempre penso que precisamos romper paradigmas que nos levam para trás, sempre penso em construir juntos! Mas, infelizmente, por questão de incompatibilidade de pensamentos, eu precisei me afastar. Mas, taí, já chorei as minhas lamúrias, vamos em frente!

O fato é que mais uma vez fomos convidados por um shopping da cidade para expor belas imagens de crianças com síndrome de Down. Ops! Fomos convidados, não, Betina foi convidada! Ela mesmo: Betina Valente. Minha amiga de sempre. Caminhos cruzados, corações focados no amor, nas oportunidades, no respeito e em mostrar como são lindas as crianças com síndrome de Down. Pois é. Conheci essa mulher há três anos, naquela confusão do ensaio com o Bahia e o Vitória que acabou resultando em tristes rompimentos. Mas, foi também o início de uma parceria e mais do que isso, foi o início de uma bela amizade que só se fortalece. E ela, Betina, que com suas ideias mirabolantes (algumas vezes eu até fico assustada) me fez convidar o Canela Fina para fazer um som na abertura da exposição. Eu chamei, toda sem jeito, e eles toparam (pra variar!) e a gente conseguiu tudo o que era preciso no momento, e foi lindo, foi lindo, foi lindo de viver! É, Beti, sonhar até concretizar, amiga. O tempo nos mostra!

Oi?! Você não ia escrever sobre o dia 21 de março? Vou tentar! Mas, é que essa é a época do ano em que, por conta da exposição, os nossos cérebros entram em curto! Literalmente! As ideias afloram, se misturam e acabam com um resultado mágico. É sempre assim... Corações apaixonados fazem isso!

E desde a nossa segunda exposição que eu sempre penso que precisamos fortalecer o que realmente importa. E foi assim na exposição de 2015 "Não precisa mudar" e em 2016 com "Alegria é a melhor coisa que existe" - foco no que realmente importa, no que é essencial. Nada de fingir que as dificuldades não existem, que não há preconceito. Helloooooooo!!! Fazemos parte das cotas de matrículas escolares (apesar da ilegalidade), esqueceram? Mesmo que seja em uma bolha, people! Estamos atentos a tudo e um pouco mais. Em alguns vários momentos precisamos nos defender e insistir, persistir, gritar, se for preciso! Mas, a vida não é feita só disso. E se nós, que fazemos parte de uma classe dita abastada da sociedade, enfrentamos dificuldades (que são ínfimas), imagina as classes mais pobres?

Pois é, a gente sabe. Aliás, a gente não esquece. Mas, eu não consigo tirar da minha cabeça que muitas das dificuldades começam dentro de casa e não estou aqui julgando ninguém, tá, é só porque eu sou mãe também e sei que nem tudo são flores e nem tudo está demonstrado nas redes sociais. Ou alguém aqui posta fotos chorando? E por saber disso, eu penso que quanto mais a gente fala do que a gente teme, mais o medo cresce, entende?! A gente atrai aquilo que a gente acredita! Óbvio que não estou querendo dizer que somente coisas lindas acontecerão se você apenas pensar em coisas belas. A vida é feita de alegrias, mas também de tristezas. Exercita: lembra agora de uma situação ruim que você já viveu e percebe como você se sente. Agora, respira, fecha os olhos e lembra de uma coisa boa. Diga aí se a sensação não é outra? Se não preenche o coração e acalma a alma?

É isso. Eu acredito que precisamos aproveitar uma data como essa em que a mídia busca matérias vitoriosas sobre o assunto para mostrar ao mundo a beleza de viver, independente da quantidade de cromossomos que você tem. Não significa desprezar as dificuldades, mas fortalecer a autoestima e se sentir preparado e acolhido para enfrentar as dificuldades. Foi pensando nisso que decidimos as fotos e o tema da exposição de 2017: "Inspira-me". Porque o nosso objetivo é inspirar a nós mesmos e a quem olhar com atenção para as nossas crianças e jovens. Nosso objetivo é tornar essas mães fortes e orgulhosas dos seus filhos. São elas que nos inspiram. Aliás, quando estamos juntas, é pura inspiração mesmo!

E o que a gente quer é ecoar amor, beleza, alegria, inclusão, oportunidades. Lutar por igualdade é uma luta diária, árdua e muitas vezes sofrida para todas as minorias. Essa luta é minha também. E muitas vezes tem que ser na base do grito e da força mesmo. Mas, vamos, sempre que possível, mostrar o lado bom. Isso fortalece muito mais e rende frutos bem gostosos!

Mas, olha só, uma amiga escreveu em uma publicação em rede social algo muito importante e aqui transcrevo porque concordo integralmente: "É hoje o dia de lembrar que não devemos esquecer nem um dia sequer" - é isso. Dia de celebrar as vitórias, de respeitar as diferenças, de aceitar os desafios e de mostrar para o mundo a lindeza que é viver!

Tá esperando o que? Se mora ou está em Salvador, vai lá no shopping Barra, Piso L1 Sul, conhecer as nossas joias preciosas. Mas, se prepara, você pode se apaixonar e sair de lá cheio de inspiração, como eu estou!

Estamos presentes nesse lindo projeto de Beti!



4 comentários:

  1. Que lindo, Van! Saudade dos seus textos. Você inspira, sua linda! Vou no fim de semana ver a exposição. Beijo cheio de carinho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudades de vc!!! Obrigada pelo carinho de sempre!

      Excluir
  2. Oiii, muita coisa que eu nem sabia li por aqui agora, exatamente agora começo a desconfiar que talvez eu seja uma "sem noção" no bom sentido kkk, no melhor sentido possível...vamos nós "fazendo florir onde quer que a vida nos plante", sempre serei amiga de qualquer pessoa que queira ser minha amiga(o), adoro crianças, flores, sorvete e cheiros...bons! O mundo é velho e vai ser velho por muito tempo, o mundo também é novo e por isso eu me divirto...mãe sempre diz "tudo passa, nessa vida tudo passa". Vanvan, sinto muito se te assustei algumas vezes rsrs rsrs rsrs mas não tem como ser de outro jeito.."eu só queria mostrar meu olhar, meu olhar..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beti, minha irmã... é muito bom ter você por perto... esses "sustos" me revigoram e me lembram quem eu sou e do que eu sou capaz, me fazem um bem danado!
      Te amo, amiga. Gratidão!

      Excluir